sexta-feira, 7 de março de 2008

É isto aquilo a que se chama teimosia?

Um registo para que nunca me esqueça desta fenomenal obra de Voltaire:
«[...] Martin veio a concluir que o homem era nado e criado para viver na inquietação, ou na letargia do aborrecimento. Cândido não concordava, mas não contrariava. Pangloss confessava que sempre sofrera horrivelmente, mas tendo afirmado uma vez que tudo ia às mil maravilhas, mantê-lo-ia sempre, embora não acreditasse em nada disso.»
Voltaire [1759] (2000). Voltaire. Trad. Maria Archer, Biblioteca Visão, Lisboa: 118.)

2 comentários:

LuzAzul disse...

Querida Rita
Já consegui entrar no teu blog, como vês!!!
Gostei muito dos artigos. Também eu me questiono sobre o interesse do blog, mas nos dias de hoje, navegar na net é tão vulgar como beber um copo de água.
Continua...
Zuzu

Anónimo disse...

experiência.