segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

saudade(s)

A saudade é um sentimento muito português. Dizem. Acho que não acredito. Acho que é um sentimento semeado por todos os pequenos universos que povoam o planeta Terra. A saudade é um sentimento duro. Não é como o amor, por exemplo, que é molinho, fofinho e quente. A saudade é dura e fria. Eu tenho muitas saudades. Principalmente de algumas pessoas e tenho acima de tudo saudades dos bons momentos. Não quero regressar ao passado, mas gostava de repetir alguns momentos. Talvez para os conseguir viver ainda mais intensamente do que na altura vivi, porque só agora – com a distância elástica do tempo – me apercebo como foram felizes esses momentos e como o meu coração batia ao ritmo das ondas quando a maré está baixa e o céu azul: compassado, tranquilo, ligeiro. Tenho saudades de quando estava apaixonada e feliz. Tenho saudades dos fins de tarde nos dias de férias em que, sem saber como, a conversa fluia sempre e sempre. Tenho até saudades da cumplicidade que se sentia nos silêncios. Tenho saudades de te telefonar e ouvir «até já». Tenho saudades de quando te telefonava para falar sobre mim e para dizer que «às oito estou em casa!». Tenho saudades de quando me fazias rir. Agora que vejo, tenho saudades de rir. Tenho saudades dos jantares e acima de tudo das conversas. Tenho saudade da cumplicidade. Tenho saudades do amor. Tenho saudades da ajuda e do carinho que recebia. Tenho saudades do amor que dava. Tenho saudades de dormir abraçada a ti. Tenho saudades principalmente quando os dias chegam ao fim, quando as horas se transformam em minutos longos, do tamanho do mundo, e passam devagar, devagar como a mudança da cor das folhas das árvores. Tenho saudades, principalmente, quando me lembro. Tenho tantas saudades que nem as consigo gerir com senso. Fica tudo enrolado, turvo. A saudade não é portuguesa nem sequer é do mundo. A saudade agora é minha. Segundo ouço, tanto se diz «tenho saudade» como «tenho saudades». A segunda deve indicar que a saudade é mais do que uma. Por isso, eu digo: tenho saudades. Muitas.

4 comentários:

Anónimo disse...

Apesar das saudades que fazem sofrer, tão bonito, Rita!

Beijos
Guida

rita disse...

Obrigada pelas tuas palavras. São sempre um presente bom que me dás:)
Obrigada. Beijos?? Muitos!!!!!

LuzAzul disse...

Cada vez escreves melhor... tu dizes que o doutoramento te estar a deixar "cansada" mas a verdade é que a tua criatividade para a escrita está cada vez melhor.
Que lindo texto... que recado tão bem dado...
um beijo muito grande da mãe que te adora e tem muito orgulho em ti
zuzu

Vanity Chair disse...

Concordo. As palavras são de ti, sentidas. Cada vez escreves melhor, a tia tem razão.
Por vezes a inquietação leva-nos a territórios desconhecidos. Aquilo que nos afunda, também nos faz vir ao de cima com mais poesia...
Amo-te